10 coisas que fazemos (e 10 a evitar) em Lisboa

Elevador Amarelo da Bica, Lisboa

Nos últimos anos Lisboa tem-se tornado um dos principais destinos europeus de cidade. O acesso e a democratização do mercado às companhias de aviação de baixo custo aumentou significativamente o turismo na cidade. Além dos turistas que vêm visitar a cidade, Lisboa também serve como porta de entrada para quem vem visitar outros destinos europeus. Lisboa é ainda uma paragem apetecível para um stopover ao fazer escala para outros países.

O aumento do turismo trouxe muito mais opções de atividades e pontos de interesse à cidade. Mas, por outro lado, trouxe zonas tipicamente turísticas que podem ser menos apetecíveis para quem pretenda conhecer a verdadeira cultura da cidade e afastar-se dos locais que estejam sobrelotados com turistas.

Nós, que passamos a maioria do ano em Lisboa, continuamos a preferir o que identifica realmente a cidade: os sítios típicos, os locais acolhedores e a proximidade da cidade ao rio.

Lisboa não é uma cidade tão pequena que seja possível visitar em apenas um fim-de-semana. Se for esse o objetivo da viagem, deve-se optar por locais que não estejam cheios de filas o que pode atrasar a experiência.

Neste post, vamos falar sobre as 10 coisas que mais gostamos de fazer em Lisboa no fim-de-semana e também as 10 que não aconselhamos para se aproveitar o fim-de-semana em cheio.

10 coisas que gostamos mesmo de fazer

1. Visitar o Parque das Nações

O Parque das Nações foi uma zona intervencionada na exposição mundial dos oceanos em 98 e, em simbiose com o rio, dispõe de uma arquitetura moderna, vários jardins e uma excelente rede de comércio. É uma ótima zona para passar uma manhã, aproveitar uma das esplanadas, ou mesmo fazer algumas compras. Existe também o terraço do Hotel Tivoli – SkyBar, que tem uma vista sobre o rio de cortar a respiração.

2. Visitar Marvila

É uma das novas zonas criativas da cidade. Aqui têm a possibilidade de experimentar uma cerveja artesanal no Lisboa Beer District (Dois Corvos, Lince ou Musa), visitar galerias de arte e escolher um dos novos restaurantes da zona para uma refeição. Recomendamos Aquele lugar que não Existe ou o El Bulo Social Club.

3. Caminhar no passeio das naus e apanhar sol na esplanada

Esta zona, que se estende do terreiro do Paço até ao Cais do Sodré é, normalmente, muito concorrida por turistas, e pode não ser fácil encontrar um lugar na esplanada. Porém, toda a zona ribeirinha permite que se sentem nos degraus, mesmo à beira rio, e aproveitem o sol e o Tejo.

4. Passar a tarde no LX Factory

É uma fábrica desocupada que foi transformada num “espaço de experiências onde se torna possível intervir, pensar, produzir, apresentar ideias e produtos num lugar que é de todos, para todos”. Este espaço está repleto de restaurantes e lojas criativas. Existem regularmente mercados de rua em que são vendidos artigos em segunda-mão e artesanato. Recomendamos almoçar no restaurante A Praça ou no Sushi Factory, visitar a livraria Ler Devagar e provar os Bolos da Marta.

5. Beber um copo e aproveitar a vista para a Ponte 25 de Abril na esplanada do Village Underground

Descrito como uma rede de espaços de produção e trocas culturais é, na realidade, um espaço peculiar em que existem autocarros estacionados em cima de contentores de carga que servem de restaurante ou de espaço de trabalho.

6. Descer a avenida da Liberdade e aproveitar uma das esplanadas dos quiosques para beber um cocktail

Esta avenida é uma das mais conhecidas internacionalmente pelas lojas de roupa de luxo que ali estão instaladas. No entanto, a avenida da Liberdade não é só isso. É uma via central de passagem da cidade, totalmente arborizada, com quiosques e esplanadas, onde se pode beber algo ou comer uma refeição ligeira. Ao fim da tarde ou início da noite, alguns destes quiosques têm música ambiente.

7. Aproveitar a vista do panorâmico de Monsanto

Este antigo armazém, num dos pontos mais altos de Lisboa, tem uma das melhores vistas da cidade. Reabriu ao público em 2017 e merece a visita.

8. Visitar o Castelo de São Jorge

Localizado no topo de uma das colinas de Lisboa, é um espaço que para além de toda a sua componente histórica, tem uma fantástica vista sobre a cidade e sobre o rio. A entrada é paga, mas vale a pena visitar.

9. Fazer compras na Baixa Chiado

Uma zona comercial por natureza, renasceu das cinzas após um grande incêndio que em 1988 consumiu por completo um dos principais armazéns da cidade. Hoje em dia, para além de uma zona de comércio de rua, é também uma zona cultural e com excelentes restaurantes para uma refeição, como por exemplo o Cantinho do Avillez e o Bistro 100 maneiras (devem reservar com alguma antecedência).

10. Passear na zona entre a Docas e a Torre de Belém

Mais uma das zonas de simbiose da cidade com o rio. É uma extensão de alguns quilómetros pedestres entre a ponte 25 de Abril e a zona de Belém, com jardins, restaurantes e esplanadas. É também a zona onde fica localizado o impressionante MAAT (Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia). Nas Docas, recomendamos comer um bife na República da Cerveja acompanhado por uma excelente sangria de cerveja, e ainda terminar a refeição com um gelado da Artisani (o gelado de salame de chocolate é divinal).


10 coisas a evitar num fim-de-semana em Lisboa

1. Comer pastéis de Belém

Ao fim-de-semana, principalmente na época alta, o local mais típico para comer pastéis de nata, pode ter longas filas. Vale a pena experimentar um pastel de Belém durante a semana, mas ao fim-de-semana existem outras opções com pastéis de nata igualmente estaladiços e cremosos. Recomendamos, por exemplo, a Manteigaria no Largo de Camões ou a Fábrica da Nata na Avenida da Liberdade.

2. Comer fast food

Num país em que se passa muito tempo à mesa poderá ser um desperdício comer o mesmo que encontram em qualquer cidade do mundo. Aproveitem a gastronomia portuguesa que tanto nos enche alma e experimentem, por exemplo, um dos muitos pratos de bacalhau.

3. Alugar carro para conhecer Lisboa

Em Lisboa o estacionamento pode ser caótico e o carro pode não te permitir chegar a todo o lado com facilidade. Para quem está no centro da cidade os transportes públicos servem bem o propósito de visitar os pontos turísticos. Para os locais em que é mais complicado chegar de transportes públicos recomendamos o Uber, o Cabify ou o Taxify. Costumamos utilizar estes serviços de transportes e, se quiseres obter um desconto podes utilizar o código mzzay5hbue para o Uber ou RUHMP para o Taxify.

4. Apanhar o elétrico 28 em hora de ponta

Esta linha, para além de ser muito usada por turistas, é também usada pelos locais. A lotação é muito limitada e a experiência pode não ser a melhor.

5. Ir a um dos restaurantes na Rua das Portas de Santo Antão ou na Rua da Prata

Restaurantes com menus coloridos à porta ou com pessoas a tentarem convencer os turistas a entrar nunca será uma boa opção. A nossa regra de ouro quando viajamos é ir aos restaurantes onde estejam os locais pois aí teremos a certeza que vamos conhecer a cultura e comer melhor. Opta por algo mais pacato ou mais discreto como os restaurantes familiares.

6. Visitar os mercados de Campo de Ourique e da Ribeira

Estes locais são uma excelente opção para comer. Eram antigos mercados tradicionais que foram modernizados com vários restaurantes onde é possível experimentar diferentes tipos de gastronomia. No entanto, com o aumento do turismo, ao fim-de-semana podem tornar-se muito concorridos e lotados. Se tiverem possibilidade optem por visitar num dia de semana.

7. Jantar antes das 20:00

Se pretendem sair para beber um copo depois de jantar, a noite em Lisboa não começa cedo, por isso optem por atrasar um pouco o jantar para não terem uma quebra até que a noite comece a aquecer.

8. Escolher um sítio caro para terem um jantar com um espetáculo de fado

Esses sítios são demasiado turísticos e a comida normalmente é medíocre. Para ouvirem fado grátis experimentem a Tasca do Chico.

9. Visitar a cidade num dos autocarros turísticos.

Mesmo sendo a cidade das 7 colinas Lisboa é uma excelente cidade para andar a pé e a zona da Baixa é muito plana. Para subir para as colinas podem sempre usar os transportes públicos: autocarros, metro e elétricos.

10. Perder tempo em centros comerciais

Em Portugal os centros comerciais têm a maioria das lojas que há em qualquer outra cidade da Europa e os preços normalmente não são mais baixos. Numa cidade que tem um clima excelente durante todo o ano, aproveitem antes para visitar um jardim ou para fazer compras no comércio de rua em vez de perderem tempo em centros comerciais que geralmente até estão muito cheios ao fim de semana.

  • Procura o teu hotel em Lisboa com o Booking.
  • Marca o teu voo para Lisboa com a Momondo.


Etiquetas:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *