Dicas para visitar Malta

Forte de São Angelo, Birgu

Malta é um pequeno arquipélago no mar mediterrâneo, a sul de Itália. Apenas as três maiores ilhas do arquipélago são habitadas – Malta, Gozo e Comino. Aproveitámos que Valeta, a capital de Malta, foi capital europeia da cultura em 2018 para visitar Malta. Estivemos sete dias em Malta e tentámos ver o máximo que conseguimos das 3 ilhas. Nesta publicação iremos dar algumas dicas e informações de forma a poderes visitar Malta da melhor forma.

 Vê aqui a primeira parte do nosso itinerário em Malta e aqui a segunda.

Este território de cavaleiros foi cobiçado e invadido ao longo da sua história por vários impérios e países devido à sua importância estratégica no centro do mediterrâneo, servindo principalmente de base naval. Antes da sua independência em 1947 era um território britânico. Desses tempos ficaram as cabines telefónicas vermelhas, o gosto pelo chá, a condução à esquerda e a língua inglesa como uma das línguas oficiais.

A nossa viagem a Malta centrou-se mais em conhecer o país do que em procurar um destino de praia, por isso aqui vais encontrar dicas mais relacionadas com o que o país tem para visitar.

Organizar uma viagem a Malta

Como chegar

O aeroporto internacional do país é em Luqa e várias companhias aéreas fazem voos para Malta, nomeadamente a companhia de bandeira nacional, a Air Malta. É ainda possível chegar à ilha de barco vindo da Sicília.

Para te deslocares do aeroporto ou do porto para qualquer local da ilha, podes usar os serviços eCabs, os táxis locais ou os autocarros do Malta Public Transport.

Vários operadores turísticos fazem pacotes de voo charter e hotel para visitar Malta, assim como várias companhias de cruzeiros fazem paragens nesta ilha.

Para visitares as ilhas de Gozo e Comino, deves apanhar o ferry ou barco em Cirkewwa.

Vista dos Penhascos, Comino
Vista dos Penhascos, Comino

Melhores alturas para viajar

As melhores alturas para visitar Malta é a primavera ou o outono. Nestas alturas o país não está demasiado cheio de turistas que procuram principalmente um destino de praia, e os transportes públicos estão menos cheios. Os preços do alojamento são também mais acessíveis. Nestas alturas as temperaturas são amenas, no entanto pode haver a possibilidade de apanhares alguns dias de chuva.

Guia da Viagem

Ter um guia de viagem ajuda-te não só a planeares a tua viagem, mas também a poderes alterar os teus planos no caso de acontecer algum imprevisto. Por exemplo, se tiveres planeado visitar a ilha de Comino, e só ao fim de 1h30m no autocarro é que te apercebes que devido à ondulação não vais poder apanhar o barco, ter um guia vai te ajudar a perceberes o que podes fazer próximo da zona onde se apanha o ferry.

Nós optamos sempre que possível por adquirir um guia de viagem, não só pela sua utilidade, mas também porque fazemos coleção de guias de viagem usados por nós. Desta forma, para Malta recomendamos o DK Eyewitness Travel Top 10 Malta & Gozo.

Salinas, Gozo
Salinas, Gozo

Alojamento

A melhor zona para se ficar alojado, caso não tenhas a oportunidade de alugar um carro, é Valeta, a capital do país. É nesta cidade que têm origem a maior parte dos autocarros que te levam a outros locais da ilha, tonando mais fácil visitar Malta. Para além disso, a cidade tem uma grande oferta de restauração que te permite depois de visitares a ilha durante o dia, voltares à cidade e desfrutares de uma refeição e relaxares próximo do local onde vais descansar. Ficámos no West Street Apartments – marca o teu hotel aqui.

As três cidades, Sliema, St. Juliens, Paceville ou Rabat também são boas zonas para procurar alojamento, no entanto tudo depende dos objetivos da tua viagem e do ambiente que procuras. Por exemplo, Paceville é uma zona de diversão noturna mas tem o restaurante Shoreditch Bar and Kitchen, com umas das melhores panquecas que comemos ultimamente.

Deslocações

A forma mais conveniente de visitar Malta é alugando um carro, permitindo-te mais flexibilidade e rapidez. Se tiveres orçamento suficiente e se conduzir do lado esquerdo da estrada não for um problema para ti, deves optar por este meio de transporte. Desta forma vais poder visitar Malta e chegar a locais onde os transportes públicos não chegam, maximizando o tempo da tua visita.

Alternativamente, podes usar a rede de autocarros do Malta Public Transport que disponibilizam o Tallinja Card (21€) e te permite viajares de forma ilimitada durante 7 dias nos transportes públicos da ilha de Malta e de Gozo. É necessário ter em conta que os horários (como no resto do mediterrâneo) são um conceito fluído, por isso não contes com pontualidade britânica quando esperas por um autocarro, no entanto a rede de transportes funciona na generalidade muito bem.

Quando te deslocas de autocarro, deves ter em atenção que a maioria dos autocarros têm origem na capital Valeta, logo se esse não for o teu local de estadia, deves ter em consideração que vais demorar um pouco mais a chegar aos locais.

O trânsito é também um pouco caótico, e as paragens de autocarro são muito frequentes, mesmos sendo a ilha pequena e as distâncias das viagens curtas, o tempo de viagem é um pouco longo. Por exemplo, para fazeres cerca de 20km de autocarro é normal demorares em média 1h30m. Existem alguns autocarros que são versões express, ou seja, fazem caminhos semelhantes mas não efetuam todas as paragens.

O Google Maps tem os horários atualizados dos transportes em Malta, permitindo-te consultar em qualquer lugar e escolher a opção mais rápida ou conveniente. Alternativamente podes procurar na aplicação do Malta Public Transport que tambem é uma grande ajuda para visitar Malta.

Rua típica, Mdina
Rua típica, Mdina

Alimentação

Muitos restaurantes em Malta servem comida típica italiana à base de pizza e pasta, sendo este aspecto muito marcante na gastronomia do país.

Como em qualquer local hoje em dia, já é possível encontrar quase todo o tipo de gastronomias, no entanto Malta tem as suas próprias especialidades e tradições, nomeadamente Pastizz, Minestra, Fenek e Imqaret.

Existe ainda alguma cultura de alimentação à base de peixe, principalmente nas cidades piscatórias, onde é possível comer peixe vindo diretamente da lota.

Dicas gerais para visitar Malta

Água

A água canalizada é potável, mas como tem origem em água do mar dessalinizada tem um sabor desagradável. A água engarrafada encontra-se em todo o lado.

Vistos

Malta faz parte da UE desde 2008, então para cidadãos europeus não é necessário qualquer visto ou passaporte. Se és um cidadão de outro país deves, como habitualmente, consultar os serviços consulares, as embaixadas ou o Maltese Foreign Affairs.

Segurança

Malta é um país seguro e não são frequentes os assaltos violentos a turistas, no entanto deves tomar as precauções gerais de viagem de salvaguardar o passaporte, dinheiro e objetos valiosos. Em algumas rotas de autocarro é frequente haver carteiristas, no entanto se tomares as precauções gerais não terás problemas.

Durante a primavera e outono existe a época de caça, deves tomar precauções se vais andar em zonas de caça.

Seguro de viagem

É recomendado que obtenhas sempre um seguro de viagem como a do World Nomads ou da Iati para viajares para Malta. Os acordos de assistência bilaterais para cidadãos da UE não incluem dentista, repatriamento e os processos são sempre burocráticos.

Língua

As línguas oficiais em Malta são o Maltês e o Inglês. O Maltês é próximo do Árabe mas utiliza o alfabeto latino e é ouvido em todo o lado, no entanto a nossa experiência é que podes falar Inglês sem problemas. Também é muito comum ouvir-se falar italiano, provavelmente devido à proximidade com a Sicília.

Viajantes LGBT

A homossexualidade foi descriminalizada em Malta em 1973 e o povo Maltês recebe bem a comunidade LGBT. Existem alguns estabelecimentos de diversão noturna com este foco.

Porto de Pesca, Marsaxlokk
Porto de Pesca, Marsaxlokk

Malta é um excelente país para passares uma semana e conheceres a cultura destas ilhas do mediterrâneo. A cultura do país é muito influenciada pelos vários povos que ali passaram ao longo da história. A simpatia das pessoas faz nos sentir muito bem e é de notar um enorme esforço de modernização do país e criação de acessibilidades que beneficia também os turistas.

Adorámos visitar o país, porque as paisagens são de cortar a respiração e a atmosfera nas cidades remete para os tempos antigos. Se visitares Malta é imperativo que visites também Gozo e Comino, onde o mar é realmente azul.





Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.