Como construir o itinerário para uma volta ao mundo?

Planeamento de Viagens

Depois de estabelecermos as nossas razões para fazer esta viagem e de tomarmos a decisão, chegou o passo mais importante e um dos nossos favoritos: definir o itinerário para uma volta ao mundo.

Existem várias formas de fazer uma viagem à volta do mundo: podemos ir marcando e decidindo à medida que viajamos, o que funciona melhor para quem não tenha restrições temporais, ou fazer um itinerário para uma volta ao mundo mais rígido que funciona melhor para pessoas que, como nós, têm tempo limitado.

Foi um processo bastante demorado, porque não se trata apenas de escolher o que se quer visitar, ver ou fazer, mas também é necessário ter em consideração uma ideia geral do orçamento disponível, fazendo uma estimativa dos gastos enquanto se avança no planeamento.

Antes de iniciar a construção do itinerário para uma volta ao mundo, tínhamos duas premissas: a duração não poderia exceder 6 meses e o nosso objetivo era seguir o verão.

Em qualquer viagem, por mais longa que seja, não é possível visitar tudo, conhecer todos os lugares e ter todas as experiências. Uma viagem longa não pode ser organizada da mesma forma que planeamos uma viagem de férias de 1 ou 2 semanas pois o ritmo irá ser completamente diferente.

Assim, e com estas premissas em mente, a nossa abordagem seguiu três passos:

Primeira fase: O desejo

Colocámos numa lista todos os países, locais e atividades que queríamos incluir no nosso itinerário para uma volta ao mundo, sem olhar a restrições temporais ou orçamentais. No final deste exercício, acabámos com uma lista suficiente para viajarmos durante um período bastante superior ao que tínhamos definido. A nossa primeira versão do itinerário tinha 19 países (Namíbia, África do Sul, Moçambique, Tanzânia, Israel, Índia, Tailândia, Camboja, Laos, Vietname, Malásia, Singapura, Austrália, Nova Zelândia, Fiji, Peru, Bolívia, Chile e Argentina). Era um plano completamente impraticável, mas serviu de esqueleto para a definição do itinerário final.

Segunda Fase: Os pilares

De seguida, definimos os pilares da nossa viagem. O que é que queríamos mesmo ver e fazer e de que não estávamos dispostos a abdicar. Definir os pilares numa viagem tão longa é um passo crucial, pois após isso o itinerário para uma volta ao mundo pode ser construído à volta desses pilares.

Os nossos pilares eram fazer um safari em África, viajar com calma no sudeste Asiático (e conhecer Angkor Wat), visitar Sidney, visitar as Fiji, ir a Machu Picchu e ao salar de Uyuni. Haviam imensas outras experiências, cidades e lugares que queríamos inserir, mas no fim foram estes os escolhidos.

Terceira Fase: Construir o itinerário

Com os pilares definidos começámos a construir o nosso itinerário para uma volta ao mundo à volta deles. Uma vez que queríamos partir por volta de setembro/ outubro, a Austrália marcaria o meio do nosso itinerário. Decidimos começar em África e fazer a viagem para Este. Então chegou a altura de começar a fazer cedências e criar prioridades, mantendo um racional lógico de sequência da localização e do que eram para nós as melhores alturas para visitar os diversos locais.

Enquanto íamos refinando o itinerário fomos pesquisando muito sobre os países e sobre as melhores formas de nos deslocarmos entre e dentro deles. Utilizámos uma folha de cálculo que nos permitiu registar a maioria das informações sobre os locais, os dias de viagem e fazer já uma estimativa do orçamento.


No final, tivemos de tomar a decisão de qual seria a data exata de partida e decidimos que seria 1 de outubro, que iríamos começar em Lisboa e que o itinerário final da nossa volta ao mundo seria o seguinte:

Lisboa (Portugal)

Será aqui que nos vamos despedir de tudo o que não voltaremos a ter contacto durante 6 meses. Partiremos da cidade em que vivemos para esta aventura com a certeza que nada será igual a antes. Passados 6 meses, quando voltarmos novamente a Lisboa, na bagagem vamos trazer uma mão cheia de histórias, experiências e a certeza que vamos querer continuar a visitar outros locais, outras culturas e ter experiências novas.

Cidade do Cabo (África do Sul)

Na África do Sul, para além de visitarmos a Cidade do Cabo, decidimos que vamos fazer uma roadtrip na Garden Route, tendo mais flexibilidade para podermos apreciar tanto a zona de produção vinícola como as praias e as paisagens.

9 dias

Joanesburgo (África do Sul)

O nosso objetivo primário não é visitar a cidade de Joanesburgo, mas já que ali vamos passar, estamos a pensar em aproveitar para explorar um pouco. Queremos usar esta cidade como ponto de partida para uma visita ao Kruger Park, onde vamos fazer um safari.

5 dias

Sudeste Asiático

O nosso ponto de entrada nesta região será a Tailândia ou o Vietname. Reservámos a maior parte do nosso tempo para visitar esta zona. Queremos ter alguma flexibilidade e ir ajustando a duração da estadia em cada ponto mediante o interesse e a nossa vontade.

Os países que temos em mente visitar, para além da Tailândia e do Vietname são: Camboja, Laos, Malásia e Singapura, onde terminaremos a nossa visita a esta região. Aqui celebraremos o Natal e depois partiremos para a Austrália.

75 dias

Austrália

Na Austrália pretendemos fazer uma road trip na Great Ocean Road. A nossa passagem de ano será nesta zona do país. Depois faremos uma roadtrip pela Pacific Coast até Sydney onde visitaremos a cidade e partiremos em direção às ilhas Fiji.

21 dias

Fiji

O principal aeroporto internacional das Fiji é em Nadi, na ilha de Viti Levu, no entanto, não temos especial interesse em visitar esta ilha. Vamos aproveitar apenas o dia de chegada para explorar a cidade.

A zona que escolhemos para passar algum tempo nas Fiji foi Yasawa. Nesta altura vamos querer descansar e aproveitar o ambiente calmo de uma das ilhas deste conjunto, provavelmente a menos movimentada, para relaxar alguns dias na praia.

A saída das Fiji será em direção à Nova Zelândia.

7 dias

Nova Zelândia

O nosso plano é visitar primeiro a ilha do Sul e só depois a ilha do Norte. Vamos fazer um misto de segmentos de carro e de avião para visitar ambas as ilhas. A nossa saída será em direção à América do Sul, mais especificamente para a Argentina.

17 dias

América do Sul

Os países que pretendemos visitar na América do Sul são a Argentina, o Chile, a Bolívia e por fim o Peru que será o último país a visitar antes de regressarmos a Portugal para terminar o itinerário para uma volta ao mundo.

À semelhança do sudeste asiático, pretendemos alguma flexibilidade nesta zona do globo. As deslocações entre os países serão feitas num misto de autocarro e avião.

48 dias

Lisboa (Portugal)

Aqui será o final da nossa viagem à volta do mundo. Depois de tudo isto ainda não temos a certeza do que nos espera, mas temos a certeza que será uma experiência inesquecível e o realizar de um desejo mútuo de conhecer o mundo e de explorar o desconhecido.


A duração estimada da nossa viagem são 183 dias, ou seja, cerca de 6 meses, que terão início no dia 1 de outubro e terminarão no dia 31 de março com o voo de regresso a Portugal.

O plano que fizemos, tem alguma rigidez uma vez que se baseia nos pilares que definimos, no entanto existem longos períodos em zonas específicas do mundo em que estaremos mais tempo para nos permitir a flexibilidade que necessitamos para fazer a viagem dos nossos sonhos.

Este itinerário não deve servir de modelo para nenhum outro. Quando o construímos foi de acordo com os nossos gostos e interesses, com as nossas limitações orçamentais, com o que pretendemos fazer e queremos retirar de uma volta ao mundo. No entanto, esperamos conseguir inspirar a que outras pessoas saiam da zona de conforto, partam numa aventura que as preencha e realizem o sonho de viajar mais e melhor.

Esta é a terceira publicação da série: Como planear uma RTW. Se quiseres saber mais sobre o planeamento de uma volta ao mundo visita as outras publicações desta série.


Recomendamos:




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.