Como e Quando visitar a China

Globo terrestre China

A China é um país que sempre esteve presente no nosso imaginário quando falávamos de viagens de longo curso. Quando visitámos a China em Abril de 2018 estávamos à espera de gostar mas não estávamos à espera de ficar tão positivamente surpreendidos. Já tínhamos ouvido relatos desanimadores sobre o país mas, para nós, a experiência foi ótima. Estivemos na China apenas uma semana (visitámos Pequim, a Muralha da China, Shanghai e Suzhou) e por isso ainda temos muito mais a explorar e conhecer deste país e desta cultura tão interessante e tão diferente da nossa. Em 2019, na nossa Viagem à Volta do Mundo, visitámos Hong Kong. Para quem procura um choque cultural como nós, visitar a China é a opção perfeita.

Dicas para organizar uma viagem à China

Organizar uma viagem à China, quando temos tempo limitado, exige alguma preparação. É um país enorme com inúmeros pontos de interesse por isso deves pensar nas tuas prioridades e gerir o teu tempo da melhor forma. É importante que consigas ver tudo o que queres mas que o faças com qualidade e não à pressa pois dessa forma a experiência será muito mais enriquecedora. Nesta publicação vamos dar algumas indicações que te ajudarão a visitar a china de uma maneira inesquecível.

Quando começámos a planear a nossa viagem, além das pesquisas na internet, e depois de decidirmos que iríamos visitar Pequim e Shangai, comprámos o guia DK Eyewitness Travel Guide: Beijing & Shanghai, que recomendamos. Usamos muitas vezes os guias de viagem da DK Travel pois gostamos da forma como estão organizados. Foi depois de lermos o guia que decidimos acrescentar Suzhou à nossa viagem.

Visto

Para visitar a China é necessário visto que tem de ser pedido antes da chegada uma vez que não existem vistos on-arrival. É necessário um passaporte válido (com 6 meses de validade após a data de regresso da China), comprovativos de entrada e saída do país assim como do alojamento e dirigires-te à embaixada da China para pedir o visto. Podes encontrar todas as informações necassárias no site da embaixada da China em Portugal. Fora de Portugal deves informar-te junto à embaixada da China no teu país. 

Deslocações na China

A nossa opção para nos deslocarmos entre Pequim e Shanghai foi um voo interno da China Eastern e entre Shanghai e Suzhou o comboio. Ambas as viagens decorreram sem problemas. Na China deves andar sempre com o passaporte pois é necessário para entrares em certas partes das cidades (em Pequim precisas do passaporte para visitar a praça Tian’anmen e a Cidade Proibida) e é imprescindível para poderes comprar bilhetes de comboio.

Nas cidades tens sempre as opções do táxi, autocarro ou metro. Tanto em Pequim como em Shanghai viajar de metro é rápido e cómodo além de ser muito barato. Podes comprar um cartão de metro que funciona com um depósito e que depois vais carregando à medida que precisas. No fim da tua viagem, ao devolveres o cartão, devolvem-te o depósito (CNY20). 

Em Shanghai utilizámos também o Maglev, um comboio de levitação magnética e que faz os 30 km entre o aeroporto e a cidade em apenas 8 minutos.

Quando visitar a China

A dimensão da China faz com que, na mesma altura do ano, as condições climatéricas sejam muito diferentes de zona para zona. Nós visitámos a China no fim de Abril e o clima estava ótimo para viajar. No geral, as melhores alturas para visitar a China são a Primavera (de Março a Maio) e o Outono (de Setembro a Novembro).

Quando possível é aconselhável não visitar a China nos feriados nacionais. Muitos restaurantes, lojas e atrações fecham e a quantidade de chineses a viajar aumenta muito. O feriado mais importante é o ano novo Chinês e nesta altura milhões de chineses aproveitam para viajar. Normalmente este feriado calha entre o fim de janeiro e o início de Fevereiro. A Golden week (1 a 7 de outubro) é o segundo feriado mais importante para os chineses. Nestas alturas, além do aumento de turistas, os preços das viagens e do alojamento também aumentam .

Dicas gerais

Saúde

A única vacina obrigatória para visitar a China é a da febre amarela, caso venham de um país endémico. Existem vacinas recomendadas e pode ser necessária a profilaxia da malária, dependendo do tempo de permanência no país e das zonas que vais visitar. Assim, é recomendável ir a uma consulta do viajante, 6 a 4 semanas antes da viagem.

Água da torneira

Deve-se ter alguns cuidados com a água na China. É aconselhável utilizar sempre água engarrafada ou previamente fervida. Nos hóteis em que ficávamos eram fornecidas garrafas todos os dias e nos supermercados a água é barata.

Poluição

É importante ter atenção aos avisos de poluição atmosférica. Não sentimos a necessidade de utilizar máscaras mas em Shanghai e Suzhou sentimos bastante a poluição do ar.

Segurança

Durante todo o tempo que estivemos na China sentimos que era um país muito seguro. Contudo, Pequim e Shangai são cidades enormes e com milhões de pessoas e, como tal, é recomendável ter os cuidados de segurança habituais em viagem. 

Seguro de viagem

Fazer um seguro de viagem antes de partires irá ajudar-te na eventualidade de acontecer algum precalço durante a viagem: cancelamentos, atrasos, roubos ou emergências médicas. Normalmente, só quando ele é necessário é que lhe damos importância. Recomendamos sempre os seguros de viagem da World Nomads ou da Iati,pois são os mais completos e com preços mais apelativos.

Internet

A “Great Firewall of China” bloqueia a maioria dos sites que estamos habituados a utilizar como o google, o facebook, o instagram, o youtube ou o twitter. Antes de partires para a China é aconselhável instalares uma VPN de forma a conseguires aceder aos sites normalmente. A maioria das VPN grátis não funcionam na China. Nós utilizámos o Express VPN que tem uma política de reembolso de 30 dias e não tivemos problemas a utlizar a internet. 

Língua

O inglês ainda não está muito difundido na China. Utilizar o google translate pode ajudar-te nas situações mais complicadas. Foi só dessa forma que conseguimos reaver o depósito do nosso cartão do metro em Shanghai.

Apps do metro

As apps do metro de Pequim e de Shanghai são óptimas para organizares as tuas deslocações nas cidades. Funcionam offline e ficas logo a saber o tempo que vais demorar, o preço da viagem e a estação para mudares de linha, caso seja necessário.

Táxis

Viajar de táxi é barato mas a maioria dos condutores não fala nem percebe Inglês. Pode ser útil levares contigo um cartão do hotel com a morada e pedires na recepção que escrevam a morada do sítio para o qual queres ir em chinês antes de apanhares um táxi.

Viajantes LBGT

A china ainda é uma sociedade altamente conservadora e o estilo de vida homossexual ainda é um tema sensível. Contudo, cidades como Pequim e Shanghai, estão a tornar-se casa vez mais abertas e tolerantes. Na nossa viagem não sentimos qualquer entrave por parte das pessoas com quem interagimos.  


A China é um óptimo país para viajar de forma económica. As diferenças culturais e a história do país são, por si só, razões suficientes para visitar o país. Mas a China é muito mais que isso e mal podemos esperar para voltar e conhecer mais deste país fascinante.




Etiquetas:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.