Ilha do Pico, muito mais do que uma Montanha

Montanha do Pico, Ilha do Pico, Açores

A ilha do Pico é uma das ilhas do grupo central do arquipélago dos Açores. A principal cidade na ilha é a Madalena. Há um pequeno aeroporto que permite ligações a outras ilhas e a Portugal continental. No Pico, as principais atividades são a agricultura, a pesca e a criação de gado.

Vê a nossa publicação sobre os Açores para teres mais informações sobre este arquipélago e como o visitar.

O nome da ilha vem da existência de uma montanha vulcânica, o Pico, que torna sempre a paisagem muito interessante. Seja onde for que estejas na ilha, a montanha do Pico faz sempre parte da paisagem.

A ilha é pequena, mas tem muito para ver e fazer. Dependendo da quantidade de atividades que pretendes fazer na tua viagem, podes optar por visitar a ilha durante um dia completo, usando como base outra das ilhas do triângulo, tal como São Jorge ou o Faial, ou prolongar a visita por mais dias.

Visitámos a ilha na época baixa, e apenas durante um dia. O barco saiu do Faial às 7:30 da manhã e só voltou ao fim do dia, o que nos permitiu aproveitar ao máximo o tempo da nossa visita.

Podes ver aqui a nossa publicação sobre a ilha do Faial, a nossa base para explorar as ilhas do triângulo.

Como Chegar à Ilha do Pico

O pequeno aeroporto existente na ilha, permite-te ligações regulares a outras ilhas usando a companhia de aviação local SATA. Por vezes há também voos para Portugal continental.

Procura o teu voo para o Pico (ou outra das ilhas do triângulo) com a Momondo ou com o Skyscanner.

Alternativamente, podes chegar à ilha de ferry através de um dos portos da cidade. A Atlanticoline garante a operação regular das rotas entre as várias ilhas dos Açores, sendo que algumas das rotas e horários estão sujeitos à sazonalidade. Para a ilha do Pico, existem rotas que chegam à Madalena e outras a São Roque.

aqui os preços e horários ferries para as ilhas do triângulo

Onde Ficar na Ilha do Pico

Quando visitámos a ilha do Pico, apenas o fizemos durante um dia completo, daí não termos necessitado de alojamento. No entanto, se pretendes, por exemplo, subir à montanha do Pico, aconselhamos que estendas a tua viagem por mais um ou dois dias, e nesse caso, terás que encontrar um alojamento.

A oferta de alojamento local e de hotéis é mais que suficiente para a procura. Dependendo do tipo de viagem que procuras deves perceber se faz mais sentido arrendar um apartamento temporariamente ou fazer uma reserva num alojamento local ou num hotel.

Procura aqui o teu hotel na ilha do Pico.

Como te podes deslocar dentro da ilha do Pico

A melhor forma de te deslocares dentro da ilha do Pico é de carro ou de mota. As estradas têm a qualidade necessária para aproveitares a viagem sem percalços. Em qualquer ilha dos Açores deves ter muita atenção na estrada porque as condições atmosféricas são muito variáveis e de um momento para o outro podes ficar sem visibilidade devido ao nevoeiro. Além disso, deves ter em consideração que o gado pode deslocar-se nas mesmas estradas que os carros, por isso conduz sempre com prudência.

O que Ver e Fazer na Ilha do Pico

Madalena

A Madalena é a cidade principal da ilha do Pico e é aqui que fica um dos portos onde chega o ferry vindo das outras ilhas. É uma cidade pequena, simples e agradável. Tem algum comércio tradicional de rua e vários estabelecimentos de restauração.

Cachorro

É uma aldeia junto ao mar, que ganhou este nome devido a rochas de origem vulcânica que se encontram no mar e que têm a forma de um cachorro. Parece que foi esculpido manualmente, mas trata-se de uma formação natural.

Túnel da Lava e Lajidos (Gruta das Torres)

É uma formação geológica de origem vulcânica na zona da Criação Velha. É o maior tubo de lava conhecido em Portugal, com mais de 5km de comprimento.

Cais do Mourato

É um antigo cais pesqueiro que hoje em dia é usado como uma zona balnear. Vale a pena a paragem pela vista ou para aproveitar para tomar um banho no mar.

São Roque

É uma vila que para além de ser um dos locais onde é possível chegar de ferry vindo de outras ilhas, tem muita oferta de restauração e tem ainda o Museu da Indústria Baleeira. Como a vila se estende à beira-mar, permite bons passeios nessa zona.

Museu da Indústria Baleeira

O Museu da Indústria Baleeira conta toda a história da pesca e do processamento industrial de baleias, atividade que foi desenvolvida durante largos anos naquela ilha. É um museu que faz parte da direção-regional da cultura, logo, se apresentares o teu cartão de embarque SATA terás acesso gratuito.

Lagoa do Capitão

A lagoa do capitão fica a meio da estrada longitudinal. É uma lagoa onde é possível observar a montanha do Pico, assim como apreciar a vida animal daquela zona.

Lajes do Pico

É uma pequena vila à beira-mar conhecida como a capital da cultura da baleia. Foi nesta vila que acabámos por almoçar num restaurante de cozinha sustentável. Se pretendes observar baleias ou golfinhos com saída do Pico, este é o local onde deves procurar uma das empresas que te leva a fazer essa atividade.

Praia da Baixa da Ribeirinha

É uma praia de areia vulcânica que é das mais procuradas da zona. Para além de uma excelente zona balnear, permite maravilhosas vistas da ilha de São Jorge, que fica logo do outro lado do canal entre as duas ilhas.

Montanha do Pico

A  montanha do Pico, com 2351 metros de altura, é a montanha mais alta de Portugal. Para quem gosta de caminhadas, visitar a montanha do Pico é uma atividade a não perder. Nós subimos de carro até onde era possível para podermos ver as paisagens e só isso vale muito a pena. Na zona de acesso aos trilhos, há uma casa de apoio a quem sobe a montanha.

A subida à montanha do Pico tem que ser registada e está limitada a um número de pessoas diariamente. A subida custa 10€ (mais 2€ para subir o Piquinho) e deves contar demorar cerca de 7 horas no total (3 horas para subir e 4 para descer).

Piquinho

É uma montanha mais pequena junto à montanha do Pico. É possível também caminhar nos seus trilhos, no entanto, à semelhança da montanha do Pico o acesso é limitado.

Museu do Vinho do Pico

Este museu conta a história da produção de vinho na ilha do Pico. Não o visitámos por dentro, apenas observámos a parte exterior. Tem uma árvore centenária e um passadiço onde podes observar a paisagem daquela zona.

Vinhas da Criação Velha

As vinhas da Criação Velha são património da humanidade pela UNESCO. Trata-se de uma forma de cultura de vinhas em pequenos talhões rodeados por muros de pedra. A paisagem, quer seja vista do chão ou de um ponto mais elevado é inesquecível.

Moinho do Frade

Este moinho restaurado encontra-se no meio das vinhas da Criação Velha e do seu topo é possível ter uma perspetiva diferente das vinhas. O local está muito bem conservado e a paisagem com a montanha do Pico é simplesmente impagável.  

Estrada Longitudinal​

A estrada longitudinal (EN3) foi, a princípio, uma desilusão. Tínhamos lido relatos que era uma das mais belas estradas de Portugal mas, quando visitámos a ilha, as nuvens estavam muito baixas e para além de não conseguirmos ver a montanha do Pico de lado nenhum, na estrada longitudinal tivemos que assumir uma condução cautelosa porque a visibilidade era muito reduzida.

Enquanto atravessamos a ilha em direção às Lajes do Pico, aquele nevoeiro desapareceu e deu lugar a um céu azul e um sol radiante. No regresso voltámos pela mesma estrada e aí sim, vimos das paisagens mais belas de Portugal. Nesta estrada é sempre possível ver a montanha ao nosso lado e a imensidão dos campos, a natureza e as várias tonalidades de verde que podemos observar fazem das mais belas paisagens que já tivemos a oportunidade de ver.

Onde Comer

Cella Bar (Madalena)

É um bar em madeira junto ao mar. A sua arquitetura é muito diferenciadora e o interior é muito acolhedor. Além do restaurante, tem um espaço de bar e uma esplanada no terraço que permite aproveitar a vista para o mar. Vimos o pôr do Sol neste bar, com vista para a ilha do Pico, a ilha do Faial e o oceano atlântico e recomendamos muito a visita.

Restaurante Casa da Âncora (São Roque)

Restaurante Lavrador (Lajes do Pico)


A Ilha do Pico foi uma agradável surpresa para nós. Depois de termos passado alguns dias no Faial, em que estamos constantemente a ver ao longe a montanha do Pico, foi como a concretização de algo que estávamos a começar a desejar muito conhecer. Quando estávamos no Faial, quase nunca tivemos uma visão clara da ilha do Pico, porque as condições atmosféricas faziam com que a maioria das vezes apenas se visse uma parte da montanha, pelo que foi criando cada vez mais o mistério.

A ilha do Pico é uma ilha calma e o local ideal para quem gostar de caminhar nos trilhos da montanha e, para além disso, tem ainda excelentes zonas balneares. A paisagem das vinhas da criação velha e a viagem na longitudinal são imagens que não vais esquecer. Se estás a pensar em visitar esta zona do arquipélago, não deixes de reservar um ou dois dias para visitar esta ilha.


Se ainda tiveres tempo…

Subir à montanha do Pico

Não subimos à montanha do Pico, porque não tínhamos tempo para o fazer. O acesso é limitado a um determinado número de pessoas, assim é possível preservar os trilhos e não ter impacto na natureza daquele local. No entanto, é algo que quando voltarmos a visitar a ilha, gostaríamos de fazer.

Visitar a ilha do Faial e São Jorge

A ilha do Pico faz parte do triângulo de ilhas do grupo central, em conjunto com a ilha de São Jorge e a ilha do Faial. A sua proximidade e a existência de serviços regulares de ferry criam as condições ideais para usares qualquer uma das três ilhas como base para a tua visita.




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *